Pituaçu Solar

Foto: Coelba/Shirley Stolze
Sistema solar instalado no Estádio de Pituaçu

Salvador já é conhecida pelo Carnaval e sol escaldante. Agora, também será uma referência no aproveitamento de energia solar. Isto porque a capital baiana tem o primeiro estádio solar da América Latina. As obras de instalação do sistema fotovoltaico no estádio estadual de Pituaçu foram iniciadas em dezembro de 2011 e a usina foi inaugurada em abril de 2012,  em um projeto da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), do Grupo NeoEnergia , em parceria com o  Governo do Estado da Bahia e com apoio institucional do Instituto Ideal, apoio técnico da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e coordenação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O projeto foi aprovado em 2010 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no âmbito do Programa de Eficiência Energética da Coelba e custará R$ 5,5 milhões, sendo R$ 3,8 milhões da Coelba e R$ 1,7 milhão do Governo do Estado da Bahia.

A energia do estádio será usada nas suas instalações, compensando com a energia fornecida pela Coelba. O projeto vai gerar 630 MWh/ano (megawatts-hora/ano) e uma economia de cerca de R$ 120 mil por ano. Além disso, o excedente de energia gerada em Pituaçu será compensado do consumo de energia elétrica da sede da Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

A empresa Ecoluz/Gehrlicher, especializada na execução dos serviços de instalação de sistemas fotovoltaicos de geração de energia conectados à rede elétrica de distribuição, foi a responsável pelo fornecimento do projeto executivo, equipamentos, instalação e serviços de treinamento, além do comissionamento do sistema (aferição da quantidade de energia gerada).

O Sistema Solar Fotovoltaico tem capacidade de geração de 400 kWp (quilowatts-pico), e utiliza módulos flexíveis de filmes finos de silício amorfo na cobertura do estádio, em função da carga em parte das estruturas existentes.

O modelo escolhido é um dos tipos mais leves e a única estrutura necessária seria a de fixação para chapas metálicas. Como são flexíveis, inquebráveis e feitos para serem colados diretamente sobre chapas metálicas, eles são mais fáceis e rápidos de serem instalados e não exigem reforço estrutural. Além disso, são os que possuem o menor custo por área coberta. A usina fotovoltaica de Pituaçu será a primeira a usar esta tecnologia para instalações deste porte no Brasil.

Na configuração do sistema de geração, além dos módulos fotovoltaicos, estão inversores CC-CA, subestações elevadoras e sistema de medição e aquisição de dados.

Veja a nota sobre a inauguração do estádio no Jornal Nacional, clicando aqui.

m4s0n501
Subir